Uma lição sobre o amor

Ultimamente tenho refletido sobre o real significado espiritual do amor, que é diferente do amor romântico ou apegado. Esse último é o mais familiar para nós, seres humanos em evolução. É o que está posto nos filmes e músicas românticas, no imaginário dos corações apaixonados, nas relações familiares e nas amizades. São, na sua maioria, relações de amor em que as partes esperam algo em troca. Mas amor real, aquele que só se acessa pelos sentimentos sutis e desinteressados, é algo de outra ordem. Bastante difícil de definir, quanto mais de praticar.

Dia desses, pedi com sinceridade um esclarecimento espiritual sobre o real significado do amor. Pedi e me foi dado: deparei-me hoje com a mais clara e pungente exposição do assunto que jamais vi na vida. Compartilho então a reflexão, na esperança de que faça bem a outros corações aprendizes da arte de amar.

Ame sem pedir para ser amado de volta

(Capítulo 17 do livro “As Sementes da Felicidade” – de Omraam Mikhaël Aïvanhov)
Extraído e traduzido da edição Inglesa.

“O amor é um tópico que nunca se esgotará. Homens e mulheres podem eternamente falar a respeito dele sem se entediar. É como comer, beber e respirar; o homem não pode viver sem amar, sem falar e ouvir sobre o amor. Por milhares de anos, o amor tem sido o tema de canções, pinturas e livros. De fato, pensamos que um romance, peça ou filme que não tenha interesse no amor é insípido. E no entanto, o que os seres humanos realmente sabem sobre o amor? Não seriam a dor e o sofrimento do amor que eles conhecem melhor? E por que é assim? É porque, para a maioria das pessoas, a felicidade consiste não em amar, mas em ser amado. Claro, elas estão dispostas a amar um pouco também, mas estão convencidas de que é mais importante serem amadas. E se vocês duvidam do que digo, digam-me: por que não lhes é suficiente que amem? Por que sofrem tanto quando descobrem que a pessoa a quem amam não as ama, ou as ama menos do que esperavam? Elas esperam que o amor venha dos outros para que as faça felizes. E se ele não vem – ou se vem mas não dura – elas se sentem deprivadas. Elas não têm fé no seu próprio poder de amar, na força do amor dentro de si mesmas. Elas precisam que alguém de fora delas venha e lhes dê amor.

Suponha que você faça um novo amigo e, por um tempo, vocês se encontrem com frequência e troquem ideias, olhares afáveis e sorrisos amigáveis. Então, um dia, seu amigo está preocupado com alguma coisa, está com algum problema e tem menos tempo para encontrar com você, escrever para você ou falar no telefone. Você se sente decepcionado e triste porque você pensa que ele o abandonou, e começa a repreendê-lo: “Por que você não veio me ver? Por que não me ligou?” e daí por diante, até que ele fique cansado de ser perturbado. Bem, claro, é normal que você sinta que perdeu algo, mas se você não decidir mudar sua atitude, nunca estará livre do sofrimento. Se você quiser reconquistar sua alegria interna e sua paz, diga a si mesmo que você deve contar apenas com o seu próprio amor, e não esperá-lo dos outros. Enquanto você esperar ser amado, será dependente dos outros, e se os outros falharem em lhe amar ou amarem-lhe menos do que você gostaria – e eles estão no seu perfeito direito de fazê-lo – você sempre será infeliz.

A vida é de tal forma que nunca podemos ter certeza de nada, nem de eventos nem de pessoas. Elas irão às vezes pensar em você, mas elas têm muito maior probabilidade de esquecer você. E isto significa que a menos que você se ancore em algo estável dentro de você mesmo, você será constantemente sacudido e levado para fora do caminho. Sim, é hora de aprender a verdadeira natureza das coisas e compreender o que você deve fazer para ser feliz. E já que você precisa de amor para ser feliz, já que você sente que é quando ama que você floresce e recebe revelações, e já que você deseja que seu amor dure para toda a eternidade, ame sem pedir que seja amado. Se aqueles a quem você ama replicam a sua afeição, tanto melhor; agradeçam ao céu por isso, mas não conte com isso. Se você puder fazer isso encontrará felicidade, pois tudo dependerá de você apenas; você pode ter o que quer, o quanto quer e onde quer. Você será todo-poderoso, independente e terá o controle da situação.

A única coisa com a qual você precisa se preocupar é como manifestar seu amor de forma mais perfeita, como torná-lo mais puro, luminoso e abnegado, menos limitado. Esta é a única condição que deve ser preenchida para se ser feliz através do amor. Olhe para o sol, ele não espera ser amado; ele é assim radiante porque ama o mundo todo. Ele é livre; não espera nada dos outros.

De minha parte, compreendi há muito tempo que grande pesar e decepção me aguardavam se eu contasse com o amor dos irmãos e irmãs da Irmandade. Os pobrezinhos têm tantos problemas e dificuldades, tantos compromissos amarrando-os, que não têm tempo de pensar em mim. Vocês objetarão, ‘Mas eles realmente amam você; se você ouvisse o que dizem de você.’ Sim, eu sei. Eles me amam apenas enquanto não encontraram alguém mais para amar. Quando encontrarem outra pessoa, me esquecerão. É compreensível… um sujeito velho com uma barba que está sempre pregando sobre como deveriam respeitar as leis de Deus e se esforçarem, e que lhes dá uma boa esculachada de vez em quando. Bom, mal posso culpá-los se eles não acharem isso muito apetitoso. Não tenho ilusões quanto a isso. É por isso que sou o primeiro a praticar meu próprio conselho. Digo a mim mesmo que cabe a mim amá-los (mas não mostro a eles que os amo, do contrário tirariam vantagem do fato). E nessa decisão de amar não apenas or irmãos e irmãs, mas toda a criação, o sol, as estrelas, Deus ele mesmo e todas as hierarquias de criaturas luminosas superiores… é nisto que encontro felicidade, uma felicidade que é estável, fiel e verdadeira. Então, por que não fazer como eu faço?

O seu amor deve crescer em luz e compreensão. Não se limitem à dimensão dos sentimentos, pois sentimentos são personalizados demais. Compreensão também é necessária para viver a completude do amor. E é quando vocês decidem amar sem esperar serem amados em retorno que vocês serão verdadeiramente amados. Por quê? Porque, se as pessoas se sentem iluminadas e aquecidas pela sua presença, e ao mesmo tempo sentem-se completamente livres, como podem não amá-lo e achá-lo atraente?

E vocês verão por si mesmos: assim que vocês pararem de procurar pelo amor, ele os perseguirá. Ele os atormentará, na verdade. Você irá afastá-lo da porta de entrada e ele irá se enfiar pela chaminé. Assim que você parar de procurá-lo, ele aparecerá; mas quanto mais você procurar por ele, mais ele irá se esquivar de você. É como caçar a própria sombra; ela sempre foge e você nunca a pega. Sim, procurar amor dos outros é como caçar a própria sombra. Mas se você parar de caçá-la ela estará sempre ali, amigável e sorridente, ao seu lado. Quando você procura amor dos outros, você foca em algo extrínseco, algo fora de você mesmo, e o seu próprio amor lhe abandona. É simplesmente assim que as coisas são. Ao invés de procurar nos outros, portanto, tragam-no de dentro de vocês e dêem a eles. Desta forma o amor estará sempre presente dentro de vocês e vocês estarão no controle da situação.

E agora, se não quiserem acreditar em mim, é melhor prepararem seus lenços. Em todo caso, não faz tanto mal usar lenços, há coisas piores que isso. Algumas pessoas não se contentam com um lenço para enxugar suas lágrimas; preferem recorrer a uma faca, revólver ou veneno. Garanto a vocês, a maioria das tragédias é causada por amor, por uma noção errada do amor, pelo tipo de amor que sempre quer alguma coisa dos outros. Mas o amor do qual eu estou falando, o amor no qual os Iniciados habitam, rejuvenece-os e fortalece-os e os faz incansáveis, luminosos e belos. É um amor que dá vida eterna, ressucita e imortaliza.

Sim, quando o amor é apropriadamente entendido e manifesto ele possui poder extraordinário. Apenas o amor sabe todas as coisas; apenas o amor é capaz de remediar tudo; as forças que ele desencadeia e projeta são inimagináveis.

Diz-se que Deus é amor, mas quando se vêem as tragédias humanas causadas pelo amor, pode-se ver que ainda há muito trabalho por se fazer, um caminho montanha acima ainda muito longo para ser trilhado antes que as alturas do amor divino possam ser alcançadas. Mas por maior que seja o esforço requerido, vale muito a pena, pois o verdadeiro mago, o único mago que é verdadeiramente todo-poderoso, é o amor. Você deve convidá-lo a habitar dentro de você, para que, onde quer que você vá, assim como uma grande chama brilhando através de uma lâmpada, o seu amor brilhe e irradie tudo ao seu redor.”

Amor Espiritual

Due belle canzoni

Em clima de música italiana, seguem os vídeos, letras e traduções de duas canções do Luciano Ligabue de que gosto muito. Como não encontrei uma tradução legal delas para o português na web, resolvi fazer eu mesma uma, baseada nos poucos (mas bem aproveitados) meses que fiz de curso de italiano. Não garanto a fidedignidade, então se algum falante tiver correções pra fazer, serão muito bem vindas.

Il giorno di dolore che uno ha

Il giorno di dolore che uno ha O dia de dor que se tem
Quando tutte le parole
sai che non ti servon più
Quando sudi il tuo coraggio
per non startene laggiù
Quando tiri in mezzo Dio
o il destino, o chissà che
Che nessuno se lo spiega
perché sia successo a te
Quando todas as palavras
sabes que não te servem mais
Quando trabalhas tua coragem
para não permanecer lá embaixo
Quando jogas no meio Deus
ou o destino, ou o que for
Que ninguém te explica
por que aconteceu com você
Quando tira un po’ di vento
che ci si rialza un po’
E la vita è un po’ più forte
del tuo dirle “grazie no”
Quando sembra tutto fermo
la tua ruota girerà.
Sopra il giorno di dolore che uno ha
Tu ru ru…
Quando sopra um pouco de vento
que nos ergue um pouco
E a vida é um pouco mais forte
do que você dizer a ela “não, obrigado”
Quando tudo parece parado
teu caminho mexer-se-á
Sobre o dia de dor que se tem
Tu ru ru…
Quando indietro non si torna
Quando l’hai capito che
che la vita non è giusta
come la vorresti te
Quando farsi una ragione
vorrà dire vivere
Te l’han detto tutti quanti
che per loro è facile
Quando para trás não se volta
Quando entendestes que
que a vida não é justa
como gostarias que fosse
Quando dar-se uma razão
significará viver
Tantos ter-te-ão dito
que para eles é fácil
Quando batte un po’ di sole
dove ci contavi un po’
E la vita è un po’ più forte
del tuo dirle “ancora no”
Quando la ferita brucia la tua pelle si farà.
sopra il giorno di dolore che uno ha.
Tu ru ru…
Quando bate um pouco de sol
onde nos encontrávamos um pouco
E a vida é um pouco mais forte
do que você dizer a ela “ainda não”
Quando a ferida queima, tua pele se fará
sobre o dia de dor que se tem
Tu ru ru…
Quando il cuore senza un pezzo
il suo ritmo prenderà.
Quando l’aria che fa il giro
i tuoi polmoni beccherà.
Quando questa merda intorno
sempre merda resterà.
Riconoscerai l’odore
perché questa è la realtà.
Quando o coração sem um pedaço
retomar o seu ritmo
Quando o ar que faz o movimento
teus pulmões tocará
Quando esta merda ao redor
sempre merda permanecerá
Reconhecerás o odor
porque esta é a realidade
Quando la tua sveglia suona
e tu ti chiederai “che or’è?”
Che la vita è sempre forte
molto più che facile
Quando sposti appena il piede
lì il tuo tempo crescerà.
Sopra il giorno di dolore che uno ha
Tu ru ru…
Quando teu despertador tocar
e te perguntares “que horas são?”
Que a vida é sempre forte
muito mais do que fácil
Assim que moveres teus pés
ali teu tempo crescerá
Sobre o dia de dor que se tem
Tu ru ru…

Non è tempo per noi

Non è tempo per noi Não é tempo para nós
Ci han concesso solo una vita
Soddisfatti o no qua non rimborsano mai
E calendari a chiederci se
stiamo prendendo abbastanza abbastanza
Se per ogni sbaglio avessi mille lire
che vecchiaia che passerei
Concederam-nos apenas uma vida
Satisfeitos ou não, aqui não reembolsam nunca
E os calendários a perguntar-nos se
estamos aproveitando o bastante, o bastante
Se por cada erro ganhasse mil liras
que aposentadoria teria!
Strade troppo strette e diritte
per chi vuol cambiar rotta
oppure sdraiarsi un po’
Che andare va bene pero’
a volte serve un motivo, un motivo
Certi giorni ci chiediamo e’ tutto qui?
e la risposta e’sempre si
Estradas estreitas e retas demais
para quem quer mudar de rota
ou talvez descansar um pouco
É que tudo bem caminhar, mas
às vezes é bom ter um motivo, um motivo
Alguns dias nos perguntamos “está tudo aqui?”
e a resposta é sempre sim
Non e’ tempo per noi
che non ci svegliamo mai
Abbiam sogni pero’ troppo grandi e belli sai
Belli o brutti abbiam facce
che pero’ non cambian mai
Non e’ tempo per noi
e forse non lo sara’ mai
Não é tempo para nós
que não acordamos nunca
Temos sonhos porém grandes e belos demais, você sabe
Belas ou feias temos faces
que no entanto não mudam
Não é tempo para nós
e talvez nunca será
Se un bel giorno passi di qua
lasciati amare e poi scordati svelta di me
Che quel giorno e’ gia’ buono per
amare qualchedun’altro, qualche altro
Dicono che noi ci stiamo buttando via
ma siam bravi a raccoglierci
Se num belo dia passares aqui
deixa-te amar e depois lembra-te, acordada, de mim
Que este dia já é bom para
amar qualquer um outro, qualquer outro
Dizem que estamos nos jogando fora
mas somos bons em nos reerguer
Non e’ tempo per noi
che non ci adeguiamo mai
Fuorimoda, fuoriposto,
insomma sempre fuori dai
Abbiam donne pazienti
rassegnate ai nostri guai
Non e’ tempo per noi
e forse non lo sara’ mai
Não é tempo para nós
que não nos adequamos nunca
Fora de moda, fora de lugar,
em suma, sempre fora, vai
Temos mulheres pacientes
resignadas aos nossos problemas
Não é tempo para nós
e talvez nunca será
Non e’ tempo per noi
che non vestiamo come voi
Non ridiamo, non piangiamo,
non amiamo come voi
Forse ingenui o testardi
Poco furbi casomai
Non e’ tempo per noi
e forse non lo sara’ mai
Não é tempo para nós
que não nos vestimos como vocês
Não rimos, não choramos,
não amamos como vocês
Talvez ingênuos ou teimosos
Pouco espertos talvez
Não é tempo para nós
e talvez nunca será

Lixo bem vigiado

A lixeira do nosso prédio vive sendo cenário de barraco. É uma lixeira externa que fica próxima da passagem de pedestres para uma estação de metrô, então sempre tem muita gente passando por ali. Os moradores vivem se queixando que os passantes usam o espaço pra se desfazer de todo tipo de tralha, desorganizando a coleta do condomínio e emporcalhando a área – até como mictório os bêbados noturnos já usaram!

Passeando hoje com minha bebê no colo na frente do prédio, pra pegar um solzinho gostoso de outono, passa por nós um grupo de ciclistas. Todos vestidos com coletes amarelo fluorescente, havia adultos, idosos e crianças. Nas pontas da frente e de trás do grupo, dois policiais cuidavam da segurança do passeio. Eles também pedalavam e vestiam coletes amarelos quase idênticos – a diferença sendo a estampa nas costas “Metropolitan Police”. O grupo parou ao lado da lixeira pra esperar os atrasados, tomar uma aguinha e se reorganizar. Eu e a bebê ali perto, curtindo o jardim do prédio e aquela cena legal, de um passeio comunitário numa linda manhã de sol.

De repente sai do nosso bloco um cara magro, meia idade, carregando uma sacolinha de lixo. Vai em direção à lixeira, e joga a sacola por cima do portão, saindo apressado em direção ao metrô. Um dos policiais, que não tinha visto de onde o homem tinha saído, desconfiou do movimento do sujeito e o abordou com educação: “Excuse me Sir, what have you just thrown in there?” (Com licença senhor, o que o senhor acabou de jogar ali?). O senhor aparentemente não entendia inglês e não percebeu que se tratava de um policial, visto que a roupa era quase igual a de todos os ciclistas. Ignorou a pergunta, fez algum gesto dispensando o diálogo e seguiu em frente.

A policial da outra ponta ficou possessa com a atitude do homem e veio atrás dele gritando HEY! STOP! POLICE! What have you just thrown in there? – e pegou o homem pelo braço pra ir vasculhar a sacolinha. O homem, perplexo, mostrou o seu lixo pros policiais, que aliviaram a tensão do rosto e dispensaram o homem pedindo desculpas.

Uma vizinha do prédio, que dia desses me viu jogando lixo apressada à noite e implicou comigo, achando que eu era uma passante, saía nessa hora pra pegar o carro e veio me perguntar o que tava rolando. Expliquei o mal entendido do policial e aproveitei para resolver a tensão do outro dia com ela, comentando bem humorada sobre como essa lixeira tá dando o que falar.

Nunca vi um lixo tão bem vigiado.

lixeiras